Arquivo do mês: outubro 2010

Estilo é genético


Quatro gerações de mulheres da familia Pascolato: Constanza Pascolato, Allegra Barontini, Gabriella Pascolato, Consuelo Pascolato Blocker - foto Fifi Tong

Desde os primórdios da humanidade  é a mulher quem passa a tradição, ela é quem ensina, educa e transmite o conhecimento (lembre-se que até a lingua é mater). Antigamente, a transmissão se dava através da oralidade, mas com o passar dos tempos podemos dizer que as mulheres continuam fazendo a mesma coisa com novas mídias, mas nem assim deixamos de lado uma bom conversa.

Essa semana, a Diretora Internacional de Estilo da Tecelagem Santaconstancia, Consuelo Blocker, fez um “petit comitê”  organizado pela BobstoreGiornate e pela da blogueiríssima Liliane Ferrari, pra lançar o seu bolg de tendências.

Quando o assunto é tendência, é preciso mais do que morar na Itália e viajar para Paris, Londres, São Paulo, Barcelona, Grécia e Turquia; é preciso ter estilo e tradição e isso não falta nas 3 gerações da família Pascolato.

Primeira geração – Dona Gabriella, aristocrata italiana chegou no Brasil em 1945, fugida da Guerra e começou a vender sapatos italianos do Salvatore Ferragamo na Rua Marconi, no centro de São Paulo, depois decidiu produzir tecidos de alto padrão e fundou a tecelagem Santaconstancia, hoje com 1 000 funcionários. Quando era pequena, lembro da minha mãe me mostrando a ponta de  um tecido com um nome impresso na borda, e dizendo: “olha cuida bem dessa roupa que essa não é qualquer uma, foi feita com tecido Santaconstancia”, nunca me esqueci da história porque o tecido tinha nome de santo e precisava ter mais cuidado.

A segunda geração Costanza Pascolato, a consultora de moda discreta, moderna e sempre com uma ar jovial. Um dos seus segredos é colecionar coisas que lhe fiquem bem, ela acredita que é melhor ir a uma festa com uma roupa mais velha com que se sinta bem e investir mais nos acessórios colocando-os sempre de uma forma especial.

O segredo da  Tecelagem Santaconstancia é o pioneirismo, apesar da tradição e do estilo, investem em tecidos inteligentes e criativos. Desde os anos 70 introduziram os jérseis leves, Cotton Lycra, Supplex com Lycra, investem em pesquisa e desenvolvimeto de novas tecnologias.

elegancia de mãe pra filha

Terceira Geração – Consuelo Bloker, a diretora internacional de estilo decidiu abrir pra todo mundo as tendências Internacionais de moda das passarelas e das ruas, o que antes era guardado a 7 chaves pela tecelagem hoje pode ser lido nos posts Consuelo Blog lá tem tudo que ela sabe e vê sobre as tendências pelo mundo a fora.

Só mesmo quem tem um expertise na fabricação e tradição em falar de estilo, poderia nos dar esse presente desse.

blogosfera em peso no brunch da Bobstore: @lilianeferrari, @ladyrasta @danischiavo, @luschievano @maria_fernanda, @vistuissu, @betaniasampaio, @biafioretti, @renata_giordano, @modaparausar, @consueloblocker


Anúncios

3 Comentários

Arquivado em de Mãe para Filha, SEGREDOS DE ESTADO, Tradição, Uncategorized

Um Orgasmo Absoluto


Quando o assunto é  orgasmo logo associamos à prazer. Quando se fala em parto, imediatamente lembramos de dor. Todos os partos na mídia mostram mulheres desesperadas, dores lancinantes e aquela expressão de destruição no final. E se eu dissesse que existe parto orgasmico, você acreditaria?

Resumindo leigamente: Na hora do parto a região vaginal está super irrigada de veias e por isso mais sensível, é como se todo o metabolismo feminino tivesse focado nessa área. Todos os hormônios estão trabalhando pra fazer com que o corpo ajude o bebe a nascer, esses hormônios são de 8 tipos diferentes (adrenalina, endorfina, oxitocina, prolactina são alguns exemplos) e todos funcionam em pólos opostos, um estimula o outro inibe.

Quando você salta de para quedas tem aquele pico de adrenalina e depois tem aquele prazer e quer saltar de novo. No parto é a mesma coisa, vc tem na hora da contração doses de adrenalina cada vez maiores e entre as contrações doses cada vez maiores de endorfina. A oxitocina, o hormônio do amor, da contração, também vai sendo liberado cada vez com mais intensidade. Todos os hormônios envolvidos no parto alcançam o seu ápice, assim a mulher pode atingir o ecxtase e ter maior orgasmo de toda sua vida, porque todos estão atuando potencialmente juntos.

Mas veja bem isso só vai ocorrer se todos esses hormônios trabalharem sem interferência alguma de outro medicamento.

Na hora que o bebe nasce e você olha pra cara da mãe feliz em êxtase, é a recompensa, o orgasmo que muitas vezes não está assumido, mas é um orgasmo. Ele é como um presente fisiológico que o corpo dá para mãe esquecer a dor e se apaixonar pelo bebe. Quantas vezes ouvimos das mãe, é difícil parir mas quando olhei a carinha do meu filho começaria tudo de novo. Nesse vídeo você vai conhecer a Debra Pascali Bonaro que fez um filme nos Estados Unidos chamado Orgasmic Birth.

Hoje é o aniversário do meu filho Pedro, ele nasceu dia 20 de outubro no dia do aniversário da minha mãe, de parto vaginal, cheio de interferências.  Na época eu não sabia que um parto poderia ser orgásmico e não pude viver essa experiência e nem dar de presente pra ele um parto tranqüilo.

Há dois anos a Debra lançou o filme Orgasmic Birth aqui no Brasil e vai voltar em novembro pra debater esse tema conosco, quem quiser conhece-la pessoalmente vá na III Conferência Internacional sobre Humanização do Parto e Nascimento, de 26 a 30 de novembro de 2010 em Brasília-DF.

Nos encontramos lá!

2 Comentários

Arquivado em DEUSA DO FEMININO, Mãe Natureza, parto natural, Tradição

Dublin: bêbados, exóticos ou geniais?


Portas, janelas e garagem

Quando a estética conta uma história.

Baile Átha Cliath em Irlandês, Duibhlinn em gaélico, formada originalmente por Celtas depois invadida por Nórdicos, Vikings e Ingleses. Essa origem étnica deu a Dublin um caráter pluri-cultural. Até hoje nem os estrangeiros resistem aos costumes locais, essa fantástica mistura de culturas resulta na personalidade exótica da capital da Irlanda.

As portas coloridas são uma marca registrada da cidade.

Reza a lenda  popular: “as mulheres cansadas de ver os seus maridos bêbados enganarem de porta, subirem as escadas e terminarem na cama com a esposa do vizinho,  fez com que essas senhoras inconformadas, pintassem as portas de cores reluzentes para que seus maridos pudessem encontrar o caminho de volta”.

Barra an Teampaill (em irlandês) é uma área na margem sul do rio Liffety, no centro de Dublin, mais conhecida como Temple Bar tem ruas estreitas e empedradas com o ar medieval, é o bairro cultural de Dublin, tem uma vida noturna intensa e animada, os turistas vibram em pular de bar em bar para ouvir música irlandesa da melhor qualidade e beber cerveja, bares, música ao vivo, teatro e bons restaurantes estão aqui. (a Temple Bar é como o Pelourinho para Salvador)

Seven Drunken Nights, é uma dos clássicos do folclore irlandês, um bêbado é corneado pela mulher porque sai pra beber as 7 noites da semana (na primeira noite ele volta pra casa e vê um cavalo na porta, na segunda vê um par de botas….). Dá pra vc imaginar dezenas de pessoas eufóricas cantando essa música e batendo palmas nos bares (esse filmino tem uma animação bizarra mas conta a historinha da música)

A ironia está por toda Dublin.

Andando pelas ruas da periferia da cidade achei algumas pérolas que não estão nos álbuns dos turistas.

 

A janela de um prédio abandonado, há um copo da cerveja Guinness ao lado da máscara, dois elementos simples que faz a nossa imaginação viajar.

 

O que me intrigou mesmo não foram as portas e janelas da cidade e sim essa garagem.

As pessoas sempre encontram uma forma pessoal de se expressar!

 

uma rua qualquer na periferia

 

Reciclagem? Desleixo? Um jardim suspenso? Porque esse morador se deu a tanto trabalho?

Tinha jardim até no banco do carro

A única coisa que concluí é: quando começar o frio e antes da neve chegar todo esse jardim não existirá mais e será uma ótima oportunidade desse morador repensar o apego a relíquia da sua garagem. O que você acha? Dê a sua opinião.

O que importa mesmo é que em Dublin tem alegria, simpatia, expressão, personalidade, é dos lugares mais interessantes que já estive e que assim que eu puder volto pra lá. Vale a Dica!

Deixe um comentário

Arquivado em ACONTECE, IMPERDÍVEL, RODAR O MUNDO, VIAJEI

1º Direito da Criança


 

bebe nascido de parteira no cerrado nordestino

 

O Primeiro Direto do ser Humano é:

escolher o DIA a HORA e o LUGAR

de nascer

Essa é uma verdade inquestionável, se tudo estiver bem com a mãe e o bebe.

Nas minhas andanças por esses Brasis ouvi essa frase de uma parteira que entrevistei no meu projeto Mães da Pátria. Por respeitar esse direito elas estão sempre a disposição, não antecipam, não aceleram, simplesmente respeitam o tempo de cada um, da mãe e do bebe. Não falo só da parteira tradicional daquela temos na memória, também as parteiras, midwives, formadas no Brasil e pelo mundo pensam da mesma forma.

Mesmo se a mãe decidir por uma cesariana dá pra respeitar esse direito do bebe se esperar um dos sinais de trabalho de parto. Hoje em dia os médicos estão antecipando a data do nascimento indiscriminadamente, eles argumentam que se o bebe já está pronto porque esperar: Vc não está louca pra se livrar dessa barriga? Se a criança nascer com menos de 3 kg, a mãe não for fumante, nem hipertensa, ele nasceu antes da hora. O bebe pode até recuperar rápido num primeiro momento, mas depois ele sentirá o tempo que faltou, emocionalmente, manifestando uma série de sintomas psicossomáticos, inclusive insegurança e ansiedade.

Respeite o tempo do seu bebe, respeite o tempo da natureza!

2 Comentários

Arquivado em AMAMENTAÇÃO, Bebes e Mamães, Mãe Natureza, parto natural

O Punk e a Gueixa


Dizem que identificamos um “punk” por causa do estilo do seu cabelo, um estilo que sobrevive há mais vinte anos…

Encontrei essa rapaz na fila da sala de embarque em Southampton. Dublin prometia.

Até os discretos ingleses ainda se surpreendem com o Style do moço

 

ele tava bem na minha mira

 

A receita pra esse penteado espetado  é muito simples, sabonete com um pouco de água e clara de ovo…. Imagina quantas dúzias de ovos pra tanto cabelo! E quantas pessoas pra ajudar a esticar? O cabelo pelo menos deve ficar lindo depois, clara de ovo é uma receita muito antiga pro cabelo.

Até o momento eu não tinha pensado na dificuldade do rapaz. Como contestar pode ser difícil!

Ele simplesmente não cabia na poltrona do avião, não dava pra encostar a cabeça na poltrona e na altura o cabelo batia no teto. Deu dó! A viagem toda com a cabeça torta e sem poder dormir.

Foi quando eu lembrei daquele travesseiro de gueixa

A gueixa gasta horas com o cabeleireiro para manter seu penteado. Quando vão dormir, recostam a cabeça em travesseiros especiais com uma cavidade no meio para que os penteados não se desfaçam. Passam a noite toda com o pescoço apoiado e dormem de barriga pra cima.

A palavra gueixa significa literalmente “pessoa da arte, artista“, e ela foi originalmente usada para designar comediantes e músicos que se apresentavam em festas particulares no século XVII.

As primeiras gueixas não foram mulheres, mas homens. Os otoko-geisha (artistas masculinos) eram especializados em entreter pequenas platéias

Olha só quanto sacrifício os homens já fizeram por seus cabelos, hoje muitos preferem ser carecas. Quando o tema é cabelo as mulheres sabem a raiva que dá em acordar com o cabelo todo amassado



11 Comentários

Arquivado em INESQUECÍEL, NEM TE CONTO!, RODAR O MUNDO

A História da Mãe de Francisco


Parto Normal depois de 3 cesáreas

Mesmo depois do nascimento do 3º filho ela não sentia que tinha parido.

Na quarta gestação ela se preparou de dentro pra fora e acreditou que era capaz de ter um bebe de parto normal (no hospital) mesmo depois da 3ª cesárea.

Homenagem do Movimento de Resgate da Essência do Feminino – Mães da Pátria à Larissa que acreditou que era capaz e resgatou seu instinto.

Valeu Larissa, em ter postado o vídeo com sua história e encorajar muitas mulheres a confiar que esse sonho é possível! Me emocionou, obrigada.

Deixe um comentário

Arquivado em Bebes e Mamães, EXPERÊNCIA DE VIDA, Homenagem, Mãe Natureza, parto natural