Dublin: bêbados, exóticos ou geniais?

Portas, janelas e garagem

Quando a estética conta uma história.

Baile Átha Cliath em Irlandês, Duibhlinn em gaélico, formada originalmente por Celtas depois invadida por Nórdicos, Vikings e Ingleses. Essa origem étnica deu a Dublin um caráter pluri-cultural. Até hoje nem os estrangeiros resistem aos costumes locais, essa fantástica mistura de culturas resulta na personalidade exótica da capital da Irlanda.

As portas coloridas são uma marca registrada da cidade.

Reza a lenda  popular: “as mulheres cansadas de ver os seus maridos bêbados enganarem de porta, subirem as escadas e terminarem na cama com a esposa do vizinho,  fez com que essas senhoras inconformadas, pintassem as portas de cores reluzentes para que seus maridos pudessem encontrar o caminho de volta”.

Barra an Teampaill (em irlandês) é uma área na margem sul do rio Liffety, no centro de Dublin, mais conhecida como Temple Bar tem ruas estreitas e empedradas com o ar medieval, é o bairro cultural de Dublin, tem uma vida noturna intensa e animada, os turistas vibram em pular de bar em bar para ouvir música irlandesa da melhor qualidade e beber cerveja, bares, música ao vivo, teatro e bons restaurantes estão aqui. (a Temple Bar é como o Pelourinho para Salvador)

Seven Drunken Nights, é uma dos clássicos do folclore irlandês, um bêbado é corneado pela mulher porque sai pra beber as 7 noites da semana (na primeira noite ele volta pra casa e vê um cavalo na porta, na segunda vê um par de botas….). Dá pra vc imaginar dezenas de pessoas eufóricas cantando essa música e batendo palmas nos bares (esse filmino tem uma animação bizarra mas conta a historinha da música)

A ironia está por toda Dublin.

Andando pelas ruas da periferia da cidade achei algumas pérolas que não estão nos álbuns dos turistas.

 

A janela de um prédio abandonado, há um copo da cerveja Guinness ao lado da máscara, dois elementos simples que faz a nossa imaginação viajar.

 

O que me intrigou mesmo não foram as portas e janelas da cidade e sim essa garagem.

As pessoas sempre encontram uma forma pessoal de se expressar!

 

uma rua qualquer na periferia

 

Reciclagem? Desleixo? Um jardim suspenso? Porque esse morador se deu a tanto trabalho?

Tinha jardim até no banco do carro

A única coisa que concluí é: quando começar o frio e antes da neve chegar todo esse jardim não existirá mais e será uma ótima oportunidade desse morador repensar o apego a relíquia da sua garagem. O que você acha? Dê a sua opinião.

O que importa mesmo é que em Dublin tem alegria, simpatia, expressão, personalidade, é dos lugares mais interessantes que já estive e que assim que eu puder volto pra lá. Vale a Dica!

Deixe um comentário

Arquivado em ACONTECE, IMPERDÍVEL, RODAR O MUNDO, VIAJEI

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s