Arquivo do mês: abril 2010

sp-arte 2010


de 29 a 02 de maio, na Bienal

Em 2009 fui na abertura da SP-ARTE /Feira Internacional de Arte de São Paulo, convidada pelo Martin Parr, fotografo da Magnum que tinha algumas suas fotos  a venda em uma galeria brasileira. AMEI o evento!

Maior encontro de artes plástica da América tá 6ª edição, são 80 galeria de arte moderna, contemporânea e vários curadores de museus como Tate Modern, Malmö Konsthall (Suécia), MUAC (México), MALI (Peru) e MUSAC (Espanha).

Vai ter Intervenção Urbana, palestras num dá pra perder. No ano passado mesmo tendo ido sozinha eu adorei, muitos artistas, estilos, só não encontrei personagens como Kiki de Montparnasse. A abertura é dia 28, imperdível! (A minha maior inveja é não estar lá como expositora, sei que é pretensão, mas quem sabe um dia minhas fotos estarão no mercado).

1 comentário

Arquivado em ARTE, IMPERDÍVEL, VIAJEI

Kiki de Montparnasse


Essa Alice, sim, é uma Maravilha!

Alice Prin, nasceu em Chantillon-sur-Seine em 1902, aos 15 anos pra fugir do tédio e exaustão do trabalho em uma padaria resolveu aceitar uma proposta de ser modelo. Ahñ??? modelo no início do seculo XX???? Sim modelo nua, daquelas mulheres peladas que posam para pintores. Pelo menos até ser pega em flagrante, por sua mãe que ao ver a cena surta, expulsa e deserdada a menina. Alice, aos 16 anos (1918) foi viver em Paris, precisamente em Montparnasse no meio dos artistas, fazendo o que sabia fazer melhor, exibir o seu corpinho nú.

Alice se tornou Kiki de Montparnasse, a queridinha, a “popular”, a musa inspiradora de todos os artistas. Seu corpo foi retratado de todas as formas, em todos os estilos, estava em todas as exposições. Kiki não era prostituta, ela era liberada e os amantes era ela quem escolhia.

Viveu com vários artistas mas ficou muitos anos com fotografo Man Ray, posou para Kisling, Fujita, Calder,Lerger

Kiki por Kinsilig

Ela foi amiga de Utrillo, Miró, Matisse, Stravinsky, Modigliani e até de Picasso. Ela não vacilava em colocar a sua sexualidade a serviço de seus amigos, mostrava os peitos ou levantava a saia pelas mesas de bar só para arrecadar uns trocados pra algum artista amigo que tivesse necessitado de grana.

Na realidade Kiki foi uma mulher emancipada nos anos 20. Mais do que  libertina a sua maior ousadia foi ter liberdade de expressão.



Ernest Hemingway

Kiki foi musa  inspiradora em quadros, fotos, manifestos. Mas ela também foi uma artista: foi dançarina e cantora de cabaret, fez desenhos e teve sua própra exposição,  escreveu um livro de memórias de infância, que óbvio, o livro foi censurado ( censura até naquela época). Imaginem só, o prefácio de seu livro foi escrito por alguem nada menos que Hemingway: ela era maravilhosa de se ver, sendo seu rosto naturalmente bonito, ela o havia convertido em obra de arte, tinha um corpo prodigiosamente belo e uma voz agradável…. Kiki foi sem dúvida a rainha desse bairro de artista, sonho e destino de milhões de pessoas nos anos 20, e chegou a simbolizar tudo que oferecia Montparnasse”. Naqueles poucos quarteirões,  entre os anos 1900/1930, aquele grupo de artistas mudarar am o conceito da estética, Marcel Duchamp  definiu como “a primeira colônia de artistas verdadeiramente internacional


desenho que Kiki fez dos dois

Kiki, foi amante de Man Ray,  fotografo surrealista, quando se conheceram ela disse: “Conheci um americano que faz fotos incríveis. Vou posar para ele, ele tem uma pronuncia que me encanta e está sempre envolvido em ar de mistério”

Enquanto ela achava isso dele Man Ray dizia pra ela: Kiki não me olhe desse jeito, me faz sentir um estranho!”

Man Ray pediu pra Kiki posar pra ele, ela brincou dizendo que as fotos mostrariam seu pequeno defeito físico, ele insistiu até que finalmente ela aceitou.”Tirei vários retratos concentranto-me em seu rosto. Pronto desisti… outros pensamentos me atormentavam sem cessar. Disse que se vestisse e fomos a um café.

"Le violon d’Ingres" foto Man Ray

No dia seguinte, “Assim que ela chegou, mostrei as fotos e ela ficou muito impressionada e logo decidiu tirar a roupa , atrás de um biombo, enquanto eu arrumava câmera fotográfica  sentado na borda da cama.  Quando ela apareceu, disse que sentasse ao meu lado. A envolvi com meus braços e ela fez o mesmo; nossos lábios se encontraram e nos jogamos na cama. Aquela tarde não houve sessão de fotografia.


Man Ray fotografou Kiki por anos, ele é  dos primeiros artistas a trabalhar sistematicamente com a mesma modelo desse trabalho resultou a série de fotocolagem de  Kiki – uma obra surrealista da fotografia, 1924

Footage de Ki ki from the films of Man Ray and Fernand Leger. For an extra beautiful Kiki experience

filme surealista – i m p r e s s i o n a n t e – foi  feito nos anos 20


Kiki depois dos anos trinta se apaixonou por um arrecadador de impostos que tocava acordeom e piano. No inicio ele ia busca-la na saída de seus shows de Cabaré, depois aos pouco ele a afastou do grupo  e foram fazer shows em Paris, até Kiki ter seu próprio  cabaré Chez Kiki.

O espírito irreverente e desafiador de Kiki está interpretado e exposto em muitos museus pelo mundo. Kiki apesar de  toda sua liberdade sexual, nos oferece, com suas histórias um tempero especial além das cores e dos ollares brisados  que estão congelados nas paredes. Sepre me  perguntei, quem teriam sido essas modelos?

Podemos dizer que Kiki  de Montparnasse foi uma mulher impressionista com espírito e atitudes surrealista.

Bia Fioretti


No mes passado quando saí das Canárias passei 24 horas em Madrid, lá encontrei um livro El Paris de Kiki, enorme pesadissimo mas não resisti. Essa semana nem acreditei qdo vi no caderno 2 do Estadão o lançamneto dos quadrinhos. Se quiser  ler a histórinha dela de uma forma deliciosa e cheio de humor , vá nos quadrinho , se quiser conhecer a historia de Montparnasse, com mapas, convites, as historias de todos os artistas, prefira encomendar o livro, apesar do trabalhão vc fará uma  tremenda viagem !

Kiki de Montparnasse – de Catel Muller e Louis Bocquet – em português -vencedor do Prix Essentiel FNAC em Angoulême, do Grand Prix RTL Comic Strip e do Millepages BD. O livro chega agora ao Brasil pela Editora Record. Mais sobre quadrinhos aqui

ElParis de Kiki, artistas e Amantes 1900 1930 Billy Klüver Julie Martin –Tusquets editores

* base de informação dos textos e imagens dos livros acima, meramente informativo

5 Comentários

Arquivado em EXPERÊNCIA DE VIDA, GLAMOUR, mito, NEM TE CONTO!, SEGREDOS DE ESTADO

Como treinar meninos?


Dentro do meu universo feminino esbarro no universo masculino. Como ser mãe de um garoto de 12 anos que até ontem se fantasiava de super heróis? Agora a bola da vez são deuses e titãs, acho que esse tema passa a ser recorrente ( veja o post abaixo” O paraíso realmente existe, no fim do mundo” )
Como enfrentar os problemas na escola? Como fazer um garoto se interessar pelo conteúdo de professores antiquados de uma escola tradicional? Vivi esse dilema até o ano passado. (Graças a Deus ou aos deuses esse ano mudei meu filho de escola para uma outra com uma pedagogia mais holística).

Agora, o que desatenção tem a ver com deuses e titãs?

Percy Jacson, Ladrão de Raios (filme em cartaz na cidade), não consegue se fixar em nada teórico, coincidências??? Quando ele visita o museu descobre que sua professora rabugenta é um titã, uma ogra (maravilha!!!!! Quantos professores tivemos assim) e o professor legal é seu protetor (ainda bem que já mudei ele de escola). Percy, sofre horrores, até a relação conturbada do segundo casamento da mãe tá no filme (i n c r í v e l, inacreditáveis coincidências!!!!!!) Um dia o tal Percy descobre que é um semi-deus, filho de Posseidon com uma reles  mortal e vai viver as mais absurdas aventuras.

Não dá pra perder Uma Thurman como medusa, depois de ter estado nas ilhas Canárias e imaginar serpentes de cactos, delirei nela nesse papel, está perfeita, nem sinal da Beatrice (olha eu aqui de novo rsss) de Kill Bill. Aquela pele branca, os olhos penetrantes e o cabelo cheio de cobras – é melhor que a barba de polvo do Davy Jones (Piratas do Caribe), que teve seu coração arrancado pela deusa Calypso e foi condenado a levar as almas para o outro mundo.

o casal 20 dos tentáculos do cinema

Apesar do excesso de clichês de americanismos o meu filhote delirou, julgava ser neto de Posseidon. Ele preferiu ser um neto já que não quis abrir mão nem do pai nem da mãe como mortais (eu se tivesse algum parentesco “deusístico” seria com Mercúrio – já que minha vida é trabalho, trabalho e “um vai e vem” sem  tréguas ou descanso). Eu também não diria que o pai teria parentesco com Poseidon, kkkkk.

Para completar a maratona iniciática do masculino, fomos ver “ Como treinar o seu dragão”.  Esse filme sim, eu amei sem restrições. Aqui o anti-herói é um filhote mirrado de Viking que se chama Soluço, passa o tempo todo criando traquitanas “a la Leonardo da Vinci” para treinar um dragão incapacitado que se acidentou com uma das armas do moleque. Delicioso o filme, é desses que dá vontade de ter em casa e ver de novo, é cheio de moral, respeito, inclusão social, dá até pra falar que  tem bullying, pela forma dele viver isolado do seu grupo. O Soluço mostra que com amor, respeito e dedicação se vira o jogo. E o anti-heroi continua sendo mortal com todos os riscos  e consequências que envolve uma aventura.  Abaixo a força bruta!

Esse filme aumenta qualquer auto-estima e alivia os conflitos entre pais e filhos.
Bem, pra completar a maratona do final de semana passamos na livraria e compramos uma série de livros: sobre dragões,  Percy Jacson (será uma série como Harry Potter)  mas o livro que mais fez sucesso foi o de invenções do Leonardo com dobraduras em 3D.  O final de semana terminou com um caderno cheio de desenhos e muitos planos juvenis. Missão Cumprida.

1º Livro da Série “Como Treinar o Seu Dragão “– Cressida Cowell – Editora – Intrínseca – Tradutor – Heloísa Prieto- Título Original – How to Train Your Dragon

http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=22145317

1º Livro da Série : Percy Jackson ladrão de Raios – autor: Rick Riordan, ex-professor de inglês e história do ensino médio em São Francisco seus livros são verdadeiras aulas de mitologia.

caderno de apontamentos de Leonardo da Vinci - réplica autêntica de algo que nunca foi construido - com engenhosos modelos tridimensionais

1 comentário

Arquivado em AVENTURA, DEUSA DO FEMININO, EXPERÊNCIA DE VIDA, FILHOTES DE GENTE, mito, VIAJEI