Arquivo da categoria: VIAJEI

opinião pessoal sem comprovação cientifica

Navegar de Balão


Dia 20 de agosto de 2016, a única previsão garantida seria de fortes emoções

2 copy

Regata Aratú Maragogipe a maior regata fluvial do Brasil,

2.3

Desde 1969  os antigos e tradicionais saveiros faziam uma regata para homenagear o padroeiros da cidade de Maragogipe “Regata de São Bartolomeu”. A regata original era apenas de saveiros, atualmente é uma grande festa pra todos os amantes do mar.

3.3

Foi minha primeira regata de competição. Mais de 100 barcos de velas içadas, subdivididos em 4 categorias, se amontoavam na Bahia de Todos os Santos

4_o

Observar a maré, os ventos e definir uma estratégia de largada, tudo calculado,   saímos bem, mas alguém queimou a largada

9.1

                                O mar ainda estava pontilhado em branco e preto.                                                                 E todos manobraram de volta. Mais 15 minutos de espera,                                  mais uma vez decidir que direção tomar com um vento cada vez mais indeciso.

8

Literalmente,  uma fragata da marinha entre nós.

9

O mar foi colorido por balões inflados pela popa.

10

O roteiro era pré-determinado, as boias foram previamente definidas, mesmo assim surpresas cruzavam nosso caminho, era  necessário redobrarmos a tenção.

12.1

                 Hora de abrir Gennaker, 125m de tecido, um tamanho gigantesco,                       um peso enorme, suspenso em apenas três pontas.

11

E ficou aberto em uma asa de pombo de 20 metros de altura

12.2_o copy

Pouco a pouco vamos ganhando posições e navegando sobre o Rio Paraguaçu

34

E vamos nos aproximando dos barcos que saíram na primeira bateria, como os antigos Saveiros, os grandes mestres por estas águas.

13

Milha a milha a chegada se aproxima, e deixo de ser marinheira de primeira regata.

15

 Maragogipe na linha do horizonte.

Deixe um comentário

Arquivado em ACONTECE, FESTAS POPULARES, RODAR O MUNDO, VIAJEI

Onde foi parar a fita K7?


Não dá pra imaginar o mundo antes da fita K7. Me lembro um dia que meu pai herdou um gravador de rolo, era um tesouro e um trambolho. Depois esse rolo virou um carretel pequeno, facilmente transportado e customizado. Editar as próprias músicas, gravar as pessoas e poder transportar isso com vc pra todo canto foi revolucionário.

Os primeiros gravadores e as fita K7 foram criado pela Philips mas foi a Sony que surpreendeu, no final dos anos 70, com o walkman. Meu primeiro walkman, da Sony, ganhei de um namorado que o pai dele havia trazido do Japão, foi  dos presentes mais incríveis que já tinha ganho, era portátil, podia customizar as músicas e tinha um fone de ouvido revolucionário. Aquele foi o início do som individual precursor dos Ipods da vida, (e hoje não conseguimos nos imaginar sem eles).

Perguntei pra alguns amigos e muitos ainda guardam com carinho as relíquias dos seus K7s pessoais, mas nunca mais as ouviram e nem sabem se ainda funcionam.


Outro dia, no bazar Ser Sustentável com Estilo da @chiaragadaleta, me apaixonei por uma bolsa, feita em tear, com fita k7, meu saudosismo atacou e não resisti.

Mas, o que mais me intriga é imaginar o conteúdo das informações que tem dentro dessas fibras, música, uma gravação de uma festa, a voz de uma criança ou um mapa astral?

Qual o segredo guardado dentro desse tecido sintético feito em tear manual. Olho pra ela e penso lixo ou luxo? A customização da informação gravada em uma fita magnética, que já foi de alta tecnologia, foi trabalhada como uma fio natural.

Seja qual for a resposta vou passear por aí com essas informações incógnitas.

10 Comentários

Arquivado em ARTE, CUSTOMIZAÇÃO, EXPERÊNCIA DE VIDA, GLAMOUR, MEUS LOOKS, VIAJEI

Dublin: bêbados, exóticos ou geniais?


Portas, janelas e garagem

Quando a estética conta uma história.

Baile Átha Cliath em Irlandês, Duibhlinn em gaélico, formada originalmente por Celtas depois invadida por Nórdicos, Vikings e Ingleses. Essa origem étnica deu a Dublin um caráter pluri-cultural. Até hoje nem os estrangeiros resistem aos costumes locais, essa fantástica mistura de culturas resulta na personalidade exótica da capital da Irlanda.

As portas coloridas são uma marca registrada da cidade.

Reza a lenda  popular: “as mulheres cansadas de ver os seus maridos bêbados enganarem de porta, subirem as escadas e terminarem na cama com a esposa do vizinho,  fez com que essas senhoras inconformadas, pintassem as portas de cores reluzentes para que seus maridos pudessem encontrar o caminho de volta”.

Barra an Teampaill (em irlandês) é uma área na margem sul do rio Liffety, no centro de Dublin, mais conhecida como Temple Bar tem ruas estreitas e empedradas com o ar medieval, é o bairro cultural de Dublin, tem uma vida noturna intensa e animada, os turistas vibram em pular de bar em bar para ouvir música irlandesa da melhor qualidade e beber cerveja, bares, música ao vivo, teatro e bons restaurantes estão aqui. (a Temple Bar é como o Pelourinho para Salvador)

Seven Drunken Nights, é uma dos clássicos do folclore irlandês, um bêbado é corneado pela mulher porque sai pra beber as 7 noites da semana (na primeira noite ele volta pra casa e vê um cavalo na porta, na segunda vê um par de botas….). Dá pra vc imaginar dezenas de pessoas eufóricas cantando essa música e batendo palmas nos bares (esse filmino tem uma animação bizarra mas conta a historinha da música)

A ironia está por toda Dublin.

Andando pelas ruas da periferia da cidade achei algumas pérolas que não estão nos álbuns dos turistas.

 

A janela de um prédio abandonado, há um copo da cerveja Guinness ao lado da máscara, dois elementos simples que faz a nossa imaginação viajar.

 

O que me intrigou mesmo não foram as portas e janelas da cidade e sim essa garagem.

As pessoas sempre encontram uma forma pessoal de se expressar!

 

uma rua qualquer na periferia

 

Reciclagem? Desleixo? Um jardim suspenso? Porque esse morador se deu a tanto trabalho?

Tinha jardim até no banco do carro

A única coisa que concluí é: quando começar o frio e antes da neve chegar todo esse jardim não existirá mais e será uma ótima oportunidade desse morador repensar o apego a relíquia da sua garagem. O que você acha? Dê a sua opinião.

O que importa mesmo é que em Dublin tem alegria, simpatia, expressão, personalidade, é dos lugares mais interessantes que já estive e que assim que eu puder volto pra lá. Vale a Dica!

Deixe um comentário

Arquivado em ACONTECE, IMPERDÍVEL, RODAR O MUNDO, VIAJEI

Keith Haring aos pés da Puma


Um dos ícones da pop art nos anos 80, Kate Haring foi o artista gráfico que levou a arte das ruas para as galerias, sua expressão era uma linguagem simplificada, figuras alegres  que pregava o amor entre as diferenças

Homossexual assumido, morreu vítima da AIDS. Ele foi mais do que um artista, foi um ativista pela prevenção do vírus HIV, da sua luta além da arte, ficou uma fundação ativa até hoje

Cadarço amarelo ou branco?

Um sneaker como se vc tivesse calçando um cartoon, muitos ícones do Keith Haring, cores primarias, grafismos, texturas contornos grossos, aspas.

Simplesmente o humor levado ao pé da letra.

Não resisti!


3 Comentários

Arquivado em ARTE, FASHION, IMPERDÍVEL, MEUS LOOKS, VIAJEI

Hoje, nada de Sexo


Lua cheia, Equinócio de Primavera e Rituais Pagãos de Fertilidade

As estações do ano sempre foram marcadas pela construção de templos e rituais. Antigamente não havia calendários e a única forma que havia de perceber o tempo era observar a natureza, seus ciclos de nascimento e a morte. Quem é que observava? As fortes e poderosas mulheres (viva as mulheres!)

Eu já estive em alguns templos em homenagem aos Solstícios, mas é no Equinócio de primavera que eram feitos os rituais de fertilidade, já que é na primavera o redespertar da terra, principalmente nos lugares frios onde ela estava adormecida, (pq será que comemoramos o dia da árvore , no Brasil, nessa semana?)

Há alguns anos estive em Agrigento, no sul da Sicilia (Itália), no Vale dos Templos (eles fizeram parte da Magna Grécia até perto do sec. XX e há mais monumentos em melhor estado de preservação lá do que na própria Grécia). Bem, nesse vale a comemoração do equinócio de primavera era importantíssima, e faziam um ritual bem feminino. Preste atenção: “Era proibido sexo nesse dia”, se alguém furasse a lei era um mal pressagio que a colheita seria ruim, até as prostitutas tinham que participar.

Em determinado horário todas as mulheres, principalmente as virgens e as mulheres menstruadas se agachavam nuas na terra para rezar.  Elas  pediam para a mãe terra para que, tanto para elas quanto a colheita fossem férteis. Elas cantavam e dançavam  para a terra e para a lua. (Hoje é lua cheia, hiiii).

O ritual era apenas para mulheres pois eles acreditavam que a resposta da mãe natureza era uma resposta no formato masculino dos alimentos principalmente os legumes: fortes, rígido e fálicos. Uma relação entre oferendas das energias do feminino para as forças do masculino.

Vale dos Templos, Agrigento Sicilia

Agora se pensarmos em tradições de outros lugares, hoje é dia de acender a fogueira, comer mel,  tocar o sino e dia de pintar ovos (um símbolo da fertilidade). A páscoa foi uma cristianização dessas oferendas pagãs, (equinócio de primavera europeu é em março na época da páscoa). Alguns feriados móveis  judaico também são comemorados próximo ao equinócio.

Ainda bem que o tempo passou e hoje não é mais um dia de abstinência sexual, mas vale conheçer essa historinha.

4 Comentários

Arquivado em DEUSA DO FEMININO, masculino e feminino, Mãe Natureza, mito, RODAR O MUNDO, SHAMANICOS, Tradição, VIAJEI

Explosões no Castelo de Edinburgh


muita cor e fumaça no cenário medieval

Domingo, dia 05 de setembro – a Princes Street Gardens, Edinburgh/ Escócia parecia a praia de Copacabana no final do ano (nas devidas proporções claro) para ouvir os 45 minutos de Fireworks Concert, lançados do famoso castelo medieval de 1.400 anos.

vistada cidade do topo do castelo dia 05/09/2010

O concerto que une pirotecnia e música encerra o maior festival de arte e cultura do mundo que chega a receber um milhão de pessoas e acontece anualmente nas três últimas semanas de agosto desde 1947

Edinburgh International Festival

Fireworks Concert

O castelo, naquele cenário noturno, envolvido em estrondos e nuvens de fumaça alimentava e enchia de mistério a nossa fantasia.

castelo de Edinburgh sobre um rochedo no ponto mais alto da cidade

Não era um show de fogos num castelo qualquer, (como o falso castelo da Cinderela na Disney), eram fogos e castelo de verdade. A rainha que morava nele foi ninguém menos que a lendária rainha escocesa Mary Stuart que foi decapitada pela prima inglesa Elisabeth I. Mary  Stuart teve vááários maridos e um filho James VI, nascido neste castelo dia 19/06/1566. O príncipe nasceu num quartinho minúsculo entre 10 e 11 da manhã, logo tiraram o bebe do colo da rainha para mostrá-lo ao pai, Lord Henry Darnley e à corte (mesmo naquela época já separavam as mães dos filhos. Nem rainha tem vez?). Mary foi coroada com 9 dias de nascida, seu filho foi coroado com 1 ano de idade, mesmo coroado com tanta precocidade James VI teve um papel de destaque na história, ele simplesmente unificou a Inglaterra e Escócia.

O castelo tem um significado muito especial para o escoceses. Os fogos são a apoteose do festival que é a maior badalação cultural do verão europeu. O dia ainda estava quente com finalzinho do verão, os bares cheios e muita energia na rua com gosto de fim de festa.

Há séculos nesse lugar era guardada a munição dos canhões, hoje estão fogos de artificio, o que antes era por motivo de guerra hoje é confraternização


3 Comentários

Arquivado em ACONTECE, ARTE, IMPERDÍVEL, INESQUECÍEL, NEM TE CONTO!, RODAR O MUNDO, VIAJEI

O CORPO do Brasil em Edinburgh


Edinburgh International Festival de 13 de agosto a 5 de setembro

Música, dança, humor, performance em todos os cantos da cidade.

Deslumbrada com a cidade vi um grande painel estampado num edifício, qual foi meu espanto quando descobri que a plasticidade e a beleza daquela imagem  que anunciava o festival era do Grupo Corpo, uma companhia de dança contemporânea brasileira criada em 1975 em Belo Horizonte pela família Pederneiras.

página do folder do festival

Eles levaram o nosso ritmo e sensualidade para Edinburgh, associado a tecnologia de ponta na dança contemporânea em dois espetáculos:  •Onqotô: funk latino com toque de futebol carioca, música de Caetano Veloso e José Miguel Wisnik. •Parabelo trouxe a nossa raiz para o Festival, música de Tom Zé e Zé Miguel Wisnik. Ambos coreografados por Rodrigo Pederneiras, figurinos de Freusa Zechmeister e light designer do Paulo Pederneiras

Como todo evento oficial o festival de Edinburgh tem, simultaneamente, outros festivais concorrentes que fazem o genero “off Broadway”

o festival paralelo mais famoso é o Fringe

Ele premia tendências em música, teatro, dança e é bem disputado.

Dica quente para os moderninhos de plantão

o Fringe  desenvolve uma linha própria de acessórios, camisetas com uma propostas bem gráfica, que depois se tornam  itens de coleção .

essas eu trouxe pra mim

Pra quem já faz planos pro ano que vem The Edinburgh Festival Passport já está disponível pra venda, será de 5 a 29 de agosto de 2011. Recomendo, vale a pena!

1 comentário

Arquivado em ACONTECE, ARTE, IMPERDÍVEL, RODAR O MUNDO, VIAJEI

CONTATO COM MANDELA


museu do Apartheid

Hoje dia 05 de dezembro de 2013 me sinto emocionada por viver na mesma época que viveu Nelson Mandela, um homem que lutou para mudar seu país e acabou mudando o mundo.

(esse post é minha forma de contribuir com as homenagens ao iluminado Nelson Mandela, obrigada Madiba!!!!!)

Ao passar por Cape Town, vc pode se apaixonar pelas belezas geográficas da cidade ou se impressionar com a história de escravidão e discriminação racial que eles viveram até pouco tempo atrás.

Só é possível sentir o peso da história que foi esse período se vc tiver estomago pra visitar Robben Island , agora tombada, e sentir a presença de Nelson Rolihlahla Mandela, que ficou preso durante 26 anos, por ser ativista político e o principal responsável pelo fim da segregação social, que dividiu a população em brancos, negros e indianos


A ilha, teve uma vila habitada com casas, igreja, mesquita, escolas, depois foi usada como descarte de leprosos, que eram abandonados aqui ao vento e frio. A partir da 2º Guerra, passou a ser penitenciária, masculina para negros, criminosos comuns da África do Sul e alguns países vizinhos e prisioneiros políticos.

o mar entre Robben Island e Cape Town, Table Mountain

A vista é privilegiada para Table Moutain, a cidade aparece até relativamente perto, mas a água é tão gelada que é suicídio, para um ser humano, mergulhar nesse mar, ele morreria de hipotermia em alguns minutos, só os pingüins andam livremente entre a praia e o mar.

Durante o dia os prisioneiros quebravam pedras ao ar livre, 365 dias por ano, chuva ou sol, inverno ou verão, usavam uma gruta como banheiro. Vc pode imaginar todos os presos usando uma gruta sem nunca limpa-la? Os brancos tinham verdadeiro horror e nojo naquele lugar, então quando os presos perceberam isso, passaram a usar a gruta como sala de conferência, era o único lugar que podiam ficar sozinhos, deixavam mensagens nas paredes, muitas das decisões que estão na atual constituição foram tomas lá dentro. As pedras no centro simbolizam as várias cores das pessoas que passaram por aqui. Esse lugar reflete tanta luz que as pessoas ficam cegas.

Os setores da prisão são separadas por categorias de presos, religião e raça.

cela que Nelson Mandela passou 8 anos

É incrível sentir a dor e o frio do silêncio dessa ilha. Como suportar tanto tempo dormindo no chão de cimento?

O alarme na porta, as lágrimas da parede, as cicatrizes dos travesseiros, as manchas nos tecidos, estampam sutilmente a dor e o isolamento dos presos políticos que almejavam apenas a igualdade de direitos humanos.

Entre uma catarse e outra, imaginei que apenas os fios de cabelo, as sujeiras e os excrementos podiam se libertar de seus corpos e fugir pelos esgotos.

Sem família, sem cartas, sem jornais, só o profundo isolamento. A meta de cada um era superar o frio, os reumatismos, as pneumonias e as diarréias as dores de cabeça, os choques elétricos de cada dia e sobreviver.

o caminho da liberdade

Foi também superando todos outros homens que Nelson Mandela sobreviveu e perdoou seus 26 anos passados em Robben Island. A superação humana e o perdão se tornou uma bandeira de paz e liberdade, que pode ser vista no filme Invictus de Kenneth Turan. Aqui, hoje, véspera da Copa do Mundo, depois de várias campanhas na TV sobre como ser gentil e respeitar a união entre os povos, todos procuram, ser simpáticos, pelo menos formalmente, quando te cumprimentar socialmente na rua.

a saída da ilha

Passar a tarde em Robben Island, a princípio me apavorou, depois saí daqui com esse sentimento de perdão e de superação dos limites, da paciência de poder esperar o momento certo pra conseguir melhorar o mundo.

“O perdão liberta o coração. A reconciliação limpa o medo por isso é uma arma tão poderosa, …temos que surpreender com compaixão e generosidade”.

Nelson Mandela

Mandela, “passou 67 anos de sua vida se dedicando ativamente a promover e conseguir a mudança social” e por causa disso, a Fundação Nelson Mandela, de Johannesburgo, sugere qua, anualmente, no dia 18 de julho “As pessoas dediquem simbolicamente pelo menos 67 minutos de seu tempo para servir suas comunidades em qualquer coisa que quiserem”. É uma boa iniciativa!

sombras, reflexos e desejos de me inspirar na sua perseverança e paciência

Bia Fioretti, repete o discurso de liberdade e igualdade, das últimas semanas, essa foi a mensagem que eu levei para a Africa do Sul (fui pra lá falar da universalidade dos sentimentos entre as parteiras de todo mundo) e trouxe de volta para o Brasil, um discurso ainda maior, de iguladade entre todas as pessoas no mundo.

 Obrigada Madiba por esse encontro e por essa lição de desapego e liberdade de alma.


WHILE WE WILL NOT FORGET
THE BRUTALITY OF APARTHEID
WE WILL NOT WANT
ROBBEN ISLAND
TO BE A MONUMENT
OF OUR HARDSHIP
AND SUFFERING
WE WOULD WANT IT
TO BE A TRIUNPH
OF THE HUMAN SPIRIT
AGAINST THE FORCES OSF EVIL
A TRIUNPH OF WISDOM
AND LARGENESS OF SPIRIT
AGAINST SMALL MINDS
AS PETTINESS
A TRINPH OF COURAGE
AND DETERMINATION
OVER HUMAN FRAILTY
AND WEAKNESS

Ahmed Kathrada 1993


192 Estados-membros da Assembleia Geral da ONU escolheram o dia 18 de julho como Dia Internacional Nelson Mandela, assim o dia do aniversário do ex-presidente sul-africano é comemorado Dia Internacional do Ativismo.

Essa é uma forma de recompensar Madiba que dedicou sua vida às causas que a ONU defende na conduta sobre os conflitos inter-raciais, pelos direitos humanos e a defesa entre a igualdade dos sexos



3 Comentários

Arquivado em AVENTURA, África do Sul, EXPERÊNCIA DE VIDA, IMPERDÍVEL, INESQUECÍEL, VIAJEI

Quem ganhou a copa foi a África do Sul


pelada na praia em Durban mas poderia ser em Copacabana

A Espanha levou a taça da Copa do Mundo 2010, mas quem realmente ganhou com a copa foi a África do Sul.

Os espanhois mereceram o título, valeu para unir um país tão dividido em torno de uma só bandeira, é como um balsamo pela crise que estão passando. Fui a Madrid, em março de 2010, realmente só se avalia de perto como é grande o desemprego e como o poder aquisitivo foi afetado.

paisagem em terras Zulu

Mas também estive na África do Sul, um país movido da paixão pelo Rugby, quem gostava de  futebol era uma pequena minoria

vista de Pretória, olha a bola na antena de TV

Por ironia do destino, a Holanda (o país de orígens dos africâneres) estava na final, aqueles que faziam a apologia do Rugby e não entendiam nem as regras do futebol,  agora torciam fervorosamente por seus ancestrais. A Holanda significa para os africâneres o que Portugal representa para os brasileiros (a população de imigrantes na África do Sul, desde sec.XVII é formada por holandeses, alemães e ingleses).

Jacarandás nas ruas de Jbourg

Há alguns meses a maioria de nós imaginávamos que a África do Sul era o território de animais selvagens, mas lá também tem pinguins e leões marinhos ( dá pra acreditar?). Poucas pessoas sabiam como eram as cidades, as praias com o surf, a série de  farois no oceano, as marinas, as montanhas. Quem diria que Jbourg e Capetown era tão frio e chuvoso. Os estádios magníficos, automatizados, os aeroportos totalmente repaginados, as estradas ampliadas. Isso tudo a um custo de muitos cortes (só quero ver como será por aqui), ouvi falar na redução do investimento da saúde e educação. A conta pra pagar agora é bem grande.

Durban tem a maior colonia hindú fora da India e muitos mulçumanos tbém, vc vê pessoas de todas as raças cores e nacionalidade andando na orla da praia

Em maio, a população temia pela segurança das ruas, mas pelo que foi dito na TV, durante a copa, as cidades estavam super policiada, mas escutei de alguns amigos que estão lá o temor deles na hora que os turistas forem embora.

Table Mountain, Cape Town, a montanha que tem o topo plano naturalmente, linda!

Hoje a África do Sul saiu das páginas de esporte, volta para as noticias de cidadania e  diretos humanos e pra nós também passa para o caderno de turismo e meio ambiente. O Soweto deixa de ser o lugar da luta pelos direitos humanos e passa também a ser um lugar de confraternização. Durban e Port Elisabeth deixam de ser visto apenas pelo oceano Índico e ganha um foco ocidental.

a vista da Table Mountain

Cape Town no postal da sua Table Mountain e a peninsula do Cabo da Boa Esperança (dos lugares mais lindos que já estive) foram declarados, por Nelson Mandela, no dia do meio ambiente “ Um presente da Terra”, a  África do Sul é signatária da Convenção da Diversidade Biológica, onde  tive contato com florais medicinais que são extraídos de flores que só nascem nesse lugar.



Nelson Mandela não foi na abertura dos jogos, mas nos contagiou na final, prestes a comemorar 92 anos, com o carisma do verdadeiro anfitrião dos direitos humanos. A ONU declarou  18 de julho o dia Internacional de Direitos Humanos. O topo da montanha totalmente plano pode ser uma metáfora perfeita, de um cnário para ser colocado todas as nações num mesmo nível de igualdade de direitos

“Por isso essa montanha, pela península, e por toda vida contida nela, nutre, protege e inspira essa preciosa gema natural do mundo, que nunca seja esquecida. Essa montanha e essa península pertence a todos nós, nos temos o mesmo compromisso e acreditamos que com esse cuidado e proteção de todos nós de todos que vieram antes e de todos que virão depois.”

Depois de julho de 2010 as vuvuzelas gritaram alto, todos nós sabemos reconhecer a bandeira da África do Sul: com sua somatória de cores. Nós ganhamos um novo horizonte e eles ganharam uma projeção e divulgação de todo seu patrimonio físico e humano.





2 Comentários

Arquivado em África do Sul, Cuidados na África do Sul, EXPERÊNCIA DE VIDA, INESQUECÍEL, RODAR O MUNDO, VIAJEI

Senhoras Super Poderosas, no centro de São Paulo


“The difference between men and boys is the price of their toys”

hoje no Pateo do Colégio (no centro de São Paulo) se transforma no pátio da história do motociclismo brasileiro


7:30h, manhã fria de domingo chegou cedo para uma série de matronas empoderadas de duas rodas que se preparavam para atravessar a cidade no fôlego do sua idade.

Harley Davidson motor "Panhead" 1949

Fortes e vigorosas, polidas e de banho tomado, estas senhoras motocicletas, ícones de muitas gerações, saíram de suas garagens, sem ratear, para mais uma aventura. (Encontrei essa deusa numa rua perto de casa e não resisti segui essa raridade porque não podia acreditar que ainda pudesse andar Harley Panhead)

Pra se manterem divas, elas dependem exclusivamente de seus valentes cavaleiros que não perderam o romantismo pela mecânica de uma motocicleta e se dedicam horas a fio a cada peça, encaixe e conexão para manter a juventude dessas relíquias. Esse bravos e preciosistas artesões se deliciam nesse prazer, quase sexual, de reverenciar uma moto antiga, sabem concertá-las no meio da estrada, improvisam soluções e numa relação simbiótica mantém -se fiel a velha companheira. Por mais trabalhosas ou caprichosas que elas sejam um não abandona o outro.( Sinto pela nova geração, as motos eletrônicas perderam esse glamour e criatividade, elas podem oferecer mais conforto mas não mantém vínculos tão poderosos com seus donos. Para essas nobres anciãs sobreviverem por mais algumas décadas jovens guardiões precisarão aprender “mecânica como um velho ofício ).

Na chegada ao  centro da cidade,  elas não pareciam tão idosas assim, Poderíamos até nos perguntar de que ano  seria essa foto? O cenário era perfeito, um filme de época.

A medida que se aproxima da Praça da Sé, outras tantas respeitadas anciãs de duas rodas se aproximam alvoroçadas com seus roncos bem particulares e enfrentam a valentia da prospota desse encontro que é: ” todas chegassem rodando e não sobre uma carreta”. O que faz que seus guardiões tenham mais cuidado ainda com a manutenção delas.

A cada esquina a festa promete mais espetáculos, os colecionadores capricham na apoteose de suas divas.

7º Encontro de Motos e Cia 2010, o idealizador do evento é Antonio Carlos Lopes, o encontro é  organizado pelo site http://www.motoecia.com.br, desde 2004, quando reuniu 300 motocicletas na área externa do Pateo do Colegio.

Desde então o evento cresceu, e na última edição reuniu mais de 1000 motocicletas e um público de 12 mil pessoas. Todas as fotos são de hoje, elas foram tiradas as 8:00 da manhã, desde cedo já estava bem badalado, tinha uma energia incrível e o melhor é gratuito. VALE A DICA PRO DOMINGÃO – todos estarão lá até as 16:00h.

2º PARTE

 – Não resisti e voltei depois e foi impressionante a quantidade de motocicletas antigas e de visitantes.

As antigas ficaram no pátio do lado de dentro, mas uma multidão de apaixonados por motos dominavam o lado de fora com suas poderosas de todas as idades.

originalidade é que não faltava, o pessoal levou a risca a proposta do evento

(Eu não consegui descobrir porque a palavra motocicleta é feminina, mas que é maravilhoso ver um bando de homens cuidando e paparicando dessas velhas senhoras, me fez gosto mesmo sendo só pela questão do gênero da palavra motocicleta).


Hoje dia três de julho 2011,a invasão de motocicletas clássicas no páteo do Colégio para o 8º Encontro Moto e Cia Classic promete ser o maior encontro do país, deste gênero.

O evento é organizado pelo site Moto e Cia (www.motoecia.com.br), e espera reunir mais de 900 motos clássicas, além de um público estimado em 12 mil pessoas

Para participar o motociclista precisa comparecer ao local do evento com sua motocicleta clássica, fabricada até 1979. Não há taxa de inscrição e a entrada é gratuita.

Endereço: Praça Pateo do Collegio, 02 – Centro de SP
Horário: A partir das 8hs
Entrada: Gratuita
Informações: http://www.motoecia.com.br ou 0800 015 43 21


1 comentário

Arquivado em AVENTURA, FASHION, GLAMOUR, IMPERDÍVEL, masculino e feminino, RODAR O MUNDO, Tradição, VIAJEI