Arquivo da tag: fertilidade

A rainha do Samba é Oxum, a orixá da fertilidade


 

Manha pré carnavalesca com o Workshop de Samba, pra blogueiras organizado pela @lilianeferrari na Pulsarte, com a Solange Ferreira, rainha de bateria da Vai Vai por 7 anos.


 

A aula foi uma delícia, super didática,  ainda mais quando ela nos apresentou uma aluna muito especial, a Kanae, uma japonesinha de Osaka que depois de tanto vir ao Brasil pro Carnaval, decidiu entrar no samba e escolheu a Solange como professora, ela mudou de país e com seu corpo escultural desfila como passista da X9.  Solange afirma que todo mundo pode sambar e que uma aula queima 600 calorias,( Kanae que o diga, segundo ela tem tendências pra engordar.)

A Solange me contou que a palavra Samba significa brincadeira, brincar com o corpo, soltar o quadril com liberdade e tem como orixá Oxum.  A dança de Oxum é mímica da mulher faceira que se  embeleza e exibe os colares,  faz barulho com as pulseiras de cobre é vaidosa, sorri diante do espelho e é  feliz, e sedutora.

Oxum, rebola mexe os quadris, orixá das águas, é a deusa da fecundidade e da criação.  As mulheres pedem pra ela quando desejam ter filhos, ela também ajuda nos partos. Orixá da fecundidade, revive as deusas lunares de várias mitologias, que simbolizam a terra-mãe. (Todos os ingredientes que adoro: feminino, tradição e ritual.)

Ao invés de rasgar a fantasia a Kanae vai é tirar o kimono e já tá a ponto cair na folia.

Depois de todas essa historia deu mais vontade ainda de aprender a sambar, a Solange vai dar 2 workhopos antes do Carnaval na Pulsarte. E pra quem tiver vontade de se aprofundar no tema,  ela dá um curso regular de dança afro, aos sábados.

 

Deixe um comentário

Arquivado em ACONTECE, ANCESTRAL, DEUSA DO FEMININO, Mãe Natureza, mito, SHAMANICOS

Hoje, nada de Sexo


Lua cheia, Equinócio de Primavera e Rituais Pagãos de Fertilidade

As estações do ano sempre foram marcadas pela construção de templos e rituais. Antigamente não havia calendários e a única forma que havia de perceber o tempo era observar a natureza, seus ciclos de nascimento e a morte. Quem é que observava? As fortes e poderosas mulheres (viva as mulheres!)

Eu já estive em alguns templos em homenagem aos Solstícios, mas é no Equinócio de primavera que eram feitos os rituais de fertilidade, já que é na primavera o redespertar da terra, principalmente nos lugares frios onde ela estava adormecida, (pq será que comemoramos o dia da árvore , no Brasil, nessa semana?)

Há alguns anos estive em Agrigento, no sul da Sicilia (Itália), no Vale dos Templos (eles fizeram parte da Magna Grécia até perto do sec. XX e há mais monumentos em melhor estado de preservação lá do que na própria Grécia). Bem, nesse vale a comemoração do equinócio de primavera era importantíssima, e faziam um ritual bem feminino. Preste atenção: “Era proibido sexo nesse dia”, se alguém furasse a lei era um mal pressagio que a colheita seria ruim, até as prostitutas tinham que participar.

Em determinado horário todas as mulheres, principalmente as virgens e as mulheres menstruadas se agachavam nuas na terra para rezar.  Elas  pediam para a mãe terra para que, tanto para elas quanto a colheita fossem férteis. Elas cantavam e dançavam  para a terra e para a lua. (Hoje é lua cheia, hiiii).

O ritual era apenas para mulheres pois eles acreditavam que a resposta da mãe natureza era uma resposta no formato masculino dos alimentos principalmente os legumes: fortes, rígido e fálicos. Uma relação entre oferendas das energias do feminino para as forças do masculino.

Vale dos Templos, Agrigento Sicilia

Agora se pensarmos em tradições de outros lugares, hoje é dia de acender a fogueira, comer mel,  tocar o sino e dia de pintar ovos (um símbolo da fertilidade). A páscoa foi uma cristianização dessas oferendas pagãs, (equinócio de primavera europeu é em março na época da páscoa). Alguns feriados móveis  judaico também são comemorados próximo ao equinócio.

Ainda bem que o tempo passou e hoje não é mais um dia de abstinência sexual, mas vale conheçer essa historinha.

4 Comentários

Arquivado em DEUSA DO FEMININO, masculino e feminino, Mãe Natureza, mito, RODAR O MUNDO, SHAMANICOS, Tradição, VIAJEI