Arquivo da categoria: IMPERDÍVEL

CONTATO COM MANDELA


museu do Apartheid

Hoje dia 05 de dezembro de 2013 me sinto emocionada por viver na mesma época que viveu Nelson Mandela, um homem que lutou para mudar seu país e acabou mudando o mundo.

(esse post é minha forma de contribuir com as homenagens ao iluminado Nelson Mandela, obrigada Madiba!!!!!)

Ao passar por Cape Town, vc pode se apaixonar pelas belezas geográficas da cidade ou se impressionar com a história de escravidão e discriminação racial que eles viveram até pouco tempo atrás.

Só é possível sentir o peso da história que foi esse período se vc tiver estomago pra visitar Robben Island , agora tombada, e sentir a presença de Nelson Rolihlahla Mandela, que ficou preso durante 26 anos, por ser ativista político e o principal responsável pelo fim da segregação social, que dividiu a população em brancos, negros e indianos


A ilha, teve uma vila habitada com casas, igreja, mesquita, escolas, depois foi usada como descarte de leprosos, que eram abandonados aqui ao vento e frio. A partir da 2º Guerra, passou a ser penitenciária, masculina para negros, criminosos comuns da África do Sul e alguns países vizinhos e prisioneiros políticos.

o mar entre Robben Island e Cape Town, Table Mountain

A vista é privilegiada para Table Moutain, a cidade aparece até relativamente perto, mas a água é tão gelada que é suicídio, para um ser humano, mergulhar nesse mar, ele morreria de hipotermia em alguns minutos, só os pingüins andam livremente entre a praia e o mar.

Durante o dia os prisioneiros quebravam pedras ao ar livre, 365 dias por ano, chuva ou sol, inverno ou verão, usavam uma gruta como banheiro. Vc pode imaginar todos os presos usando uma gruta sem nunca limpa-la? Os brancos tinham verdadeiro horror e nojo naquele lugar, então quando os presos perceberam isso, passaram a usar a gruta como sala de conferência, era o único lugar que podiam ficar sozinhos, deixavam mensagens nas paredes, muitas das decisões que estão na atual constituição foram tomas lá dentro. As pedras no centro simbolizam as várias cores das pessoas que passaram por aqui. Esse lugar reflete tanta luz que as pessoas ficam cegas.

Os setores da prisão são separadas por categorias de presos, religião e raça.

cela que Nelson Mandela passou 8 anos

É incrível sentir a dor e o frio do silêncio dessa ilha. Como suportar tanto tempo dormindo no chão de cimento?

O alarme na porta, as lágrimas da parede, as cicatrizes dos travesseiros, as manchas nos tecidos, estampam sutilmente a dor e o isolamento dos presos políticos que almejavam apenas a igualdade de direitos humanos.

Entre uma catarse e outra, imaginei que apenas os fios de cabelo, as sujeiras e os excrementos podiam se libertar de seus corpos e fugir pelos esgotos.

Sem família, sem cartas, sem jornais, só o profundo isolamento. A meta de cada um era superar o frio, os reumatismos, as pneumonias e as diarréias as dores de cabeça, os choques elétricos de cada dia e sobreviver.

o caminho da liberdade

Foi também superando todos outros homens que Nelson Mandela sobreviveu e perdoou seus 26 anos passados em Robben Island. A superação humana e o perdão se tornou uma bandeira de paz e liberdade, que pode ser vista no filme Invictus de Kenneth Turan. Aqui, hoje, véspera da Copa do Mundo, depois de várias campanhas na TV sobre como ser gentil e respeitar a união entre os povos, todos procuram, ser simpáticos, pelo menos formalmente, quando te cumprimentar socialmente na rua.

a saída da ilha

Passar a tarde em Robben Island, a princípio me apavorou, depois saí daqui com esse sentimento de perdão e de superação dos limites, da paciência de poder esperar o momento certo pra conseguir melhorar o mundo.

“O perdão liberta o coração. A reconciliação limpa o medo por isso é uma arma tão poderosa, …temos que surpreender com compaixão e generosidade”.

Nelson Mandela

Mandela, “passou 67 anos de sua vida se dedicando ativamente a promover e conseguir a mudança social” e por causa disso, a Fundação Nelson Mandela, de Johannesburgo, sugere qua, anualmente, no dia 18 de julho “As pessoas dediquem simbolicamente pelo menos 67 minutos de seu tempo para servir suas comunidades em qualquer coisa que quiserem”. É uma boa iniciativa!

sombras, reflexos e desejos de me inspirar na sua perseverança e paciência

Bia Fioretti, repete o discurso de liberdade e igualdade, das últimas semanas, essa foi a mensagem que eu levei para a Africa do Sul (fui pra lá falar da universalidade dos sentimentos entre as parteiras de todo mundo) e trouxe de volta para o Brasil, um discurso ainda maior, de iguladade entre todas as pessoas no mundo.

 Obrigada Madiba por esse encontro e por essa lição de desapego e liberdade de alma.


WHILE WE WILL NOT FORGET
THE BRUTALITY OF APARTHEID
WE WILL NOT WANT
ROBBEN ISLAND
TO BE A MONUMENT
OF OUR HARDSHIP
AND SUFFERING
WE WOULD WANT IT
TO BE A TRIUNPH
OF THE HUMAN SPIRIT
AGAINST THE FORCES OSF EVIL
A TRIUNPH OF WISDOM
AND LARGENESS OF SPIRIT
AGAINST SMALL MINDS
AS PETTINESS
A TRINPH OF COURAGE
AND DETERMINATION
OVER HUMAN FRAILTY
AND WEAKNESS

Ahmed Kathrada 1993


192 Estados-membros da Assembleia Geral da ONU escolheram o dia 18 de julho como Dia Internacional Nelson Mandela, assim o dia do aniversário do ex-presidente sul-africano é comemorado Dia Internacional do Ativismo.

Essa é uma forma de recompensar Madiba que dedicou sua vida às causas que a ONU defende na conduta sobre os conflitos inter-raciais, pelos direitos humanos e a defesa entre a igualdade dos sexos



3 Comentários

Arquivado em AVENTURA, África do Sul, EXPERÊNCIA DE VIDA, IMPERDÍVEL, INESQUECÍEL, VIAJEI

Senhoras Super Poderosas, no centro de São Paulo


“The difference between men and boys is the price of their toys”

hoje no Pateo do Colégio (no centro de São Paulo) se transforma no pátio da história do motociclismo brasileiro


7:30h, manhã fria de domingo chegou cedo para uma série de matronas empoderadas de duas rodas que se preparavam para atravessar a cidade no fôlego do sua idade.

Harley Davidson motor "Panhead" 1949

Fortes e vigorosas, polidas e de banho tomado, estas senhoras motocicletas, ícones de muitas gerações, saíram de suas garagens, sem ratear, para mais uma aventura. (Encontrei essa deusa numa rua perto de casa e não resisti segui essa raridade porque não podia acreditar que ainda pudesse andar Harley Panhead)

Pra se manterem divas, elas dependem exclusivamente de seus valentes cavaleiros que não perderam o romantismo pela mecânica de uma motocicleta e se dedicam horas a fio a cada peça, encaixe e conexão para manter a juventude dessas relíquias. Esse bravos e preciosistas artesões se deliciam nesse prazer, quase sexual, de reverenciar uma moto antiga, sabem concertá-las no meio da estrada, improvisam soluções e numa relação simbiótica mantém -se fiel a velha companheira. Por mais trabalhosas ou caprichosas que elas sejam um não abandona o outro.( Sinto pela nova geração, as motos eletrônicas perderam esse glamour e criatividade, elas podem oferecer mais conforto mas não mantém vínculos tão poderosos com seus donos. Para essas nobres anciãs sobreviverem por mais algumas décadas jovens guardiões precisarão aprender “mecânica como um velho ofício ).

Na chegada ao  centro da cidade,  elas não pareciam tão idosas assim, Poderíamos até nos perguntar de que ano  seria essa foto? O cenário era perfeito, um filme de época.

A medida que se aproxima da Praça da Sé, outras tantas respeitadas anciãs de duas rodas se aproximam alvoroçadas com seus roncos bem particulares e enfrentam a valentia da prospota desse encontro que é: ” todas chegassem rodando e não sobre uma carreta”. O que faz que seus guardiões tenham mais cuidado ainda com a manutenção delas.

A cada esquina a festa promete mais espetáculos, os colecionadores capricham na apoteose de suas divas.

7º Encontro de Motos e Cia 2010, o idealizador do evento é Antonio Carlos Lopes, o encontro é  organizado pelo site http://www.motoecia.com.br, desde 2004, quando reuniu 300 motocicletas na área externa do Pateo do Colegio.

Desde então o evento cresceu, e na última edição reuniu mais de 1000 motocicletas e um público de 12 mil pessoas. Todas as fotos são de hoje, elas foram tiradas as 8:00 da manhã, desde cedo já estava bem badalado, tinha uma energia incrível e o melhor é gratuito. VALE A DICA PRO DOMINGÃO – todos estarão lá até as 16:00h.

2º PARTE

 – Não resisti e voltei depois e foi impressionante a quantidade de motocicletas antigas e de visitantes.

As antigas ficaram no pátio do lado de dentro, mas uma multidão de apaixonados por motos dominavam o lado de fora com suas poderosas de todas as idades.

originalidade é que não faltava, o pessoal levou a risca a proposta do evento

(Eu não consegui descobrir porque a palavra motocicleta é feminina, mas que é maravilhoso ver um bando de homens cuidando e paparicando dessas velhas senhoras, me fez gosto mesmo sendo só pela questão do gênero da palavra motocicleta).


Hoje dia três de julho 2011,a invasão de motocicletas clássicas no páteo do Colégio para o 8º Encontro Moto e Cia Classic promete ser o maior encontro do país, deste gênero.

O evento é organizado pelo site Moto e Cia (www.motoecia.com.br), e espera reunir mais de 900 motos clássicas, além de um público estimado em 12 mil pessoas

Para participar o motociclista precisa comparecer ao local do evento com sua motocicleta clássica, fabricada até 1979. Não há taxa de inscrição e a entrada é gratuita.

Endereço: Praça Pateo do Collegio, 02 – Centro de SP
Horário: A partir das 8hs
Entrada: Gratuita
Informações: http://www.motoecia.com.br ou 0800 015 43 21


1 comentário

Arquivado em AVENTURA, FASHION, GLAMOUR, IMPERDÍVEL, masculino e feminino, RODAR O MUNDO, Tradição, VIAJEI

“Isso eu aprendi com minha mãe”


O feminino, na África, manifestado com toda sua energia

Ndebele uma tribo dissidentes dos Zulus do século XVII desenvolveu uma arte tribal maravilhosa, é expressionista, geométrica, colorida e preto e branca, precisa, criativa; são casas, roupas, acessórios, muitos grafismos com significado e importância. Passar de mãe para filha é a lei das Ndebele.

as meninas de miçangas

Ao nascer as mães Ndebele colocam na cintura do bebe um cordão de miçangas brancas, a medida que cresce aumentam as cores das contas que ão trazendo diferentes significados até a maturidade.

As meninas, usam uma saia com franjas toda feita de miçangas, colares e tornozeleiras tbem com miçangas e só com a puberdade elas passam a usar outros materiais couro ou metal e muda de status no vestuário.


3 momentos da mulher em forma de boneca, casada, noiva e menina

O mais interessante na adolescência é que ela ganha um boneca, que tem xale, anéis colares de metal que representa o seu novo papel de noiva.

As noivas começam a usar colares de metal e para o casamento as pernas também são revestidas de anéis de metal. Quanto mais bens o marido tem mais argola carrega no pescoço. Essas argola tem um poder místico de conexão com a ancestralidade do feminino. Tudo é feito em tom de cerimônia e ritual de passagem


Sem régua, esquadro ou gabarito, pura inspiração. Essas mulheres são hábeis com as miçangas e revestem tudo na sua estética geométrica, copos, cabos, painéis etc. No início dos tempos da tribo (1880) usavam bosta de vaca e terra para pintar (ikghuphu) com os dedos, e com o tempo passaram a usar pigmento. As casas são coletivas, chamada Umuzi e as meninas aprendem a pintar desde criança.

Essa arte é uma reza, uma conexão com o divino, cada mulher tem uma forma individual de expressão, quanto mais personalidade ela coloca na técnica da pintura e das miçangas mais valorizada é a mulher pela tribo. A Arte Ndebele é um privilégio feminino  e todos os dias as mulheres se encontram para bordar, costurar e pintar, é como se elas continuassem a praticar a tenda vermelha. Se uma menina não sabe pintar os murais e fazer miçangas não se casa. É maravilhoso uma sociedade que valorizar a mulher por sua arte e criatividade. (morri de inveja quero ir pra lá passar o dia todo pintando, ficar toda enfeitada e ser reconhecida por isso.AMEI!!!!!!)

As cores são primarias os grafismos super geométricos e hoje está incorporados objetos do cotidiano. É pra inspirar qualquer artista, designer gráfico. Para a Bia Fioretti a cultura Ndebele é um prato cheio: cultura, tradição, arte, feminino, herança de mãe para filha, é ovalor da essência do feminino na mais pura raiz.

O Alexandre Herchcovitch, andou se inspirando nas africanas Ndebele há alguns anos, nas sua coleção de inverno.

*baseado no livro Cultures South Africa, Peter Joyce, photographs by Roger e Path de la Harpe



1 comentário

Arquivado em ANCESTRAL, ARTE, África do Sul, Cerimonia de Casamento, Cuidados na África do Sul, de Mãe para Filha, DEUSA DO FEMININO, Dica na África do Sul, FASHION, GLAMOUR, IMPERDÍVEL, RODAR O MUNDO, Tradição, VIAJEI

São João em Caruaru, muito mais que forró


Caruaru é considerada a capital do forró e nessa época de São João, o pátio do Forró é uma loucura com milhares de pessoas e bandas que trocam o dia pela noite, além disso tem passarela com desfile de quadrilhas com coreografia e tudo mais, o povo de lá se prepara o ano todo.

Mas existe muito mais São João em Caruaru além de forró, nesse dia 24 de julho comemora-se o dia do Bacamarteiro, (pode até parecer nome de desenho animado) mas são homens enfardados com armas de festim (sem projétil) na mão, como se fossem produtores de rojão.

Essa relíquia vem da época da guerra do Paraguai quando os soldados atiravam pro alto pra comemorar a vitória, a tradição ainda é mantida mas não por soldados de batalhão mas por valentes homens do campo.

Reverenciar o Santo João implica em homenagea-lo com fogo, os bacamarteiros fazem a sua parte, eles chegam de várias regiões do interior de Pernambuco pra saudar o santo e fazem mais barulho que fogos de artifício. O encontro desse ano foi no Sesc de lá.

Apesar deles serem da turma do bolinha as luluzinhas também são bem vindas pra demonstrar a coragem em segurar o tranco do disparo, mas é preciso muita habilidade pra carrega-la manualmente. Eles tem um saquinho com pólvora (amarrado no cinto) e um soquete de metal pra socar o pó lá no fundo do bacamarte.

wwwwww

Outra tradição de Caruaru é Pífano ou pífaro ou ainda pife, uma pequena flauta transversal, aguda, similar a um flautim, mas com um timbre estridente.

Historicamente, essa flauta era uma forma dos primeiros cristãos saudarem a Virgem Maria nas festas natalinas. Na versão nordestina as flautas formam uma banda bem criativa com um toque nordestino.

Hoje a banda popular ganhou estatus  e se tornou a Orquestra de Pífanos de Caruaru.

wwwwwww

Alem do forró toda Pernambuco se manifesta, em Caruaru, com todas as suas tradições do folclore: encontrei Dança do Boi.

danças dos Pernas de Pau e por toda cidade muitas festas com expressões de alegria e espontaniedade.

Estive em Caruaru a convite da Fernanda, presidente da Associação de Parteiras de Caruaru, que me levou pra conhecer a sua terra além das parteiras do serrado.

Bem, quanto a arena do forró, só mesmo estando lá pra poder explicar. O que vc pretende fazer em junho do ano que vem?

3 Comentários

Arquivado em ACONTECE, EXPERÊNCIA DE VIDA, FESTAS POPULARES, IMPERDÍVEL, masculino e feminino, RODAR O MUNDO, Tradição

Pertinho de Deus


vista aérea

Abadia de San Galgano

A ruína de uma Catedral, próximo a Siena na Itália é um dos lugares mais mágicos que já estive, uma história cheia de energia e mistérios. Neste lugar eu tive uma verdadeira vivência de conexão com o divino

Tudo começou quando fui reencontrar uma amiga de escola, depois de mais de 20 anos. Stefania que é restauradora de igrejas da época do “cinquecento” (1500) em Parma. Ela me deu algumas sugestões de passeios, um deles ela descreveu como “um lugar absolutamente inesquecível”. Depois de cruzar muitos campos toscanos chegamos a ruína de um Monastério. Uma CATEDRAL onde só as paredes estão de pé.

 

 

a arquitetúra impressiona pelo tamanho e pela integração na paisagem

 

A suposta cúpula era o céu! O que te deixa mais perto de Deus por não haver barreiras  entre nós e o divino. O piso é de terra batida, a grande mãe terra! Eu tirei os sapatos, fiquei com pés na terra e levantei as mãos pro céu. Os santos e afrescos foram absorvidos pela natureza e plantas, árvores e pássaros atravessam os espaços vazios. O som do bater as assas, do canto dos pássaros ou de crianças que correm como anjos.  A minha experiência foi de me sentir dentro uma moldura que delimitava um solo sagrado, sem me sufocar.

Uma energia incrível, pra mim San Galgano é um portal para uma outra dimensão.

Até aquele momento eu não fazia idéia da história que aquele lugar reservava.

 

 

suspiro profundamente uuuuufffffffffff!

Depois de rezar, chorar, meditar descobri uma pequena capela, no alto da morro ao lado do monastério.

estas são as fotos que tirei

 

 

San Galgano viveu no sec. XII, trocou a vida das lutas e prazeres de um cavaleiro templário para se tornar um eremita. Ele se isolou numa cabana no alto do morro e enterrou sua espada de ferro numa pedra transformando-a em uma cruz (1180). Hoje a espada está protegida por uma redoma. Eu a vi, procurei uma fenda uma marca uma rachadura. 


Algumas lendas dizem que ele chegou a ser um cavaleiro da Távola Redonda. A idade da espada atesta a originalidade da época. Depois de anos construíram um mosteiro em homenagem ao eremita e surgiu um dos braços da igreja católica.


Abadia de San Galgano, século XIII,  foi muito influente na Toscana,  foi protegida, recebeu dinheiro e apoio de Henry VI, Otto IV e de Frederico II. Foram muitas histórias de glórias e conflitos durante o apogeu e a decadência dessa catedral, no século XIV com a fome (1328), praga (1348), que afetou toda hierarquia dos monges.

Em 1781 o teto da igreja desabou; em 1786 um  raio destruiu a torre do sino; o bronze do sino foi vendido por kilo e a abadia foi transformada em uma fundição; em 1789 a igreja se tornou um lugar profano e foi abandonada.

Mesmo tendo sido abandonada pelas ordens religiosas a energia que inspirou o cavaleiro Galgano a se tornar um homem santo continua emanando em todo lugar, ter sentido a magia do lugar antes de saber a história me encantou mais ainda.

Chiusdino

Veja bem nesse 3D a posição celeste da espada entre todos os signos do zodíaco que é percorrido pelo feixe de luz, coincidência?

 

Se você quiser conhecer mais dessa história achei o post do Marcos Machrysller conta toda a história tim tim por tim tim.


1 comentário

Arquivado em ARTE, BEATA LEi, EXPERÊNCIA DE VIDA, IMPERDÍVEL, INESQUECÍEL, mito, RODAR O MUNDO, SURTEI, GRITEI, CHOREI, TODOS OS SANTOS, Tradição, VIAJEI

Vinhos, vinhedos e boa comida na África do Sul


as vinículas de Cape Town são imperdíveis

COMIDA na África do Sul – apesar dos medos, não tive problema algum com a comida. O cardápio é feito de muita carne vermelha, algumas de caça (o que leva para mesa animais um tanto quanto exóticos hahaha). O prato típico é um ” escondidinho de carne moída”, quando pedir vegetais, não adianta, virá sempre abóbora e creme de espinafre, (até em fast food!). Se vc comer algum desses, não se espante se o gosto vier diferente,  eles colocam açúcar em vez de sal nos legumes, é meio estranho. Galinha é o prato do dia a dia e a Chiken Pie deles é muito gostosa e curry também está em todo lugar. Na África do Sul, comer  é bom, barato e sempre  farto.

Esse é um dos lugares mais especiais de Cape Town A D O R E I !!!!

o povo leva um saco de lixo preto e compra 3 peixes por 10 Rands = 3reais

Os peixes são deliciosos, o mais popular é o Snoek e o melhor “fish and chips” que comi na vida foi em Mariner’s Warf – Cape Town, lá eles pescam na hora e servem fresquinho.

os peixes estão quase vivos de tão frescos

Johannesburg – o restaurante mais legal que fui se chama MOYO (apareceu até no Fantástico), eles tem um bufet com pratos típicos da África, se vestem à caráter em uma MEGA produção e pintam o rosto dos clientes, para todos entrarem no clima. Vale a visita, o bairro é lindo de frente para o lago.

Outra dica em Johannesburg é  Doppio Zero: Descontraído, pizza, sorvetes, bar e restaurante. Resumindo: Descolado, cult, bem local, não é turístico.

o por do sol aqui é maravilhoso!!!!

Em Pretória vale a pena experimentar o Baobas


Opção excelente pra comprar comida baratinha, de qualidade e levar para o hotel. É no supermercado Woolworth, vale a pena, a qualidade é incrível e tem em todos os lugares –RECOMENDO

vista do quarto de Eikendal- sublime

Cape Town passei  o final de semana num lodge em Eikendal, lindo, lindo! A África do Sul é famosa pelas excelentes vinícolas, vale a fama.

que tal um pic nic nesse lago

Estive também visitando a Spier, uma outra fazenda, que tem uma loja de conveniencia e vc pode comprar coisinhas para comer e beber uns petiscos ou ir ao Moyo de Cape Town (Se vc perdeu o restaurante em Johannsburg, aqui vai uma segunda chance). Depois pague uns Rands e vá ver as Chitas ( não é macaco, é leopardo) vc pode entrar e ficar perto delas na reserva.

Em Durban, fiquei em Bellito, na costa do Oceano Índico, o gostos é ficar numa guest house. A cidade é de praia cheia de badalações e de restaurantes bacanas, uma ótima opção há 50km de Durban

a vista é do mar azul, azul, lá amanhece 1 hora antes do resto da África

2 Comentários

Arquivado em AVENTURA, África do Sul, COPA DO MUNDO, Dica na África do Sul, Dica para a Copa do Mundo, EXPERÊNCIA DE VIDA, GLAMOUR, IMPERDÍVEL, INESQUECÍEL, RODAR O MUNDO, VIAJEI

Contato com Mandela


museu do Apartheid

Os 192 Estados-membros da Assembleia Geral da ONU escolheram o dia 18 de julho como Dia Internacional Nelson Mandela, assim o dia do 92º aniversário do ex-presidente sul-africano é transformado em um “dia internacional do ativismo”.

Essa é uma forma de recompensar Madiba que dedicou sua vida às causas que a ONU defende na conduta sobre os conflitos inter-raciais, pelos direitos humanos e a defesa entre a igualdade dos sexos.

Ao passar por Cape Town, vc pode se apaixonar pelas belezas geográficas da cidade ou se impressionar com a história de escravidão e discriminação racial que eles viveram até pouco tempo atrás.

Só é possível sentir o peso da história que foi esse período se vc tiver estomago  pra visitar Robben Island , agora tombada, e sentir a presença de Nelson Rolihlahla Mandela, que ficou preso durante 26 anos, por ser ativista político e o principal responsável pelo fim da segregação social, que dividiu a população em brancos, negros e indianos


A ilha, teve uma vila habitada com casas, igreja, mesquita, escolas, depois foi usada como descarte de leprosos, que eram abandonados aqui ao vento e frio. A partir da 2º Guerra, passou a ser penitenciária, masculina para negros, criminosos comuns da África do Sul e alguns países vizinhos e prisioneiros políticos.

 

o mar entre Robben Island e Cape Town, Table Mountain

A vista é privilegiada para Table Moutain, a cidade aparece até relativamente perto, mas a água é tão gelada que é suicídio, para um ser humano, mergulhar nesse mar, ele morreria de hipotermia em alguns minutos, só os pingüins andam livremente entre a praia e o mar.

Durante o dia os prisioneiros quebravam pedras  ao ar livre, 365 dias por ano, chuva ou sol, inverno ou verão, usavam uma gruta como banheiro. Vc pode imaginar todos os presos usando uma gruta sem nunca limpa-la? Os brancos tinham verdadeiro horror e nojo naquele lugar, então quando os presos perceberam isso, passaram a usar a gruta como sala de conferência, era o único lugar que podiam ficar sozinhos, deixavam mensagens nas paredes, muitas das decisões que estão na atual constituição foram tomas lá dentro. As pedras no centro simbolizam as várias cores das pessoas que passaram por aqui. Esse lugar reflete tanta luz que as pessoas ficam cegas.

Os setores da prisão são separadas por categorias de presos, religião e raça.

cela que Nelson Mandela passou 8 anos

É incrível sentir a dor e o frio do silêncio dessa ilha. Como suportar tanto tempo dormindo no chão de cimento?

O alarme na porta, as lágrimas da parede, as cicatrizes dos travesseiros, as manchas nos tecidos,  estampam sutilmente a dor e o isolamento dos presos políticos que almejavam apenas a igualdade de direitos humanos.

Entre uma catarse e outra, imaginei que apenas os fios de cabelo, as sujeiras e os excrementos podiam se libertar de seus corpos e fugir pelos esgotos.

Sem família, sem cartas, sem jornais, só o profundo isolamento.   A meta de cada um era superar o frio, os reumatismos, as pneumonias e as diarréias as dores de cabeça, os choques elétricos de cada dia e sobreviver.

o caminho da liberdade

Foi também superando todos outros homens que Nelson Mandela sobreviveu e perdoou seus 26 anos passados em Robben Island. A superação humana e o perdão se tornou uma bandeira de paz e liberdade, que pode ser vista  no filme Invictus de Kenneth Turan. Aqui, hoje, véspera da Copa do Mundo, depois de várias campanhas na TV sobre como ser gentil e respeitar a união entre os povos, todos procuram, ser simpáticos, pelo menos formalmente, quando te cumprimentar socialmente na rua.

a saída da ilha

Passar a tarde em Robben Island, a princípio me apavorou, depois saí daqui com esse sentimento de perdão e de superação dos limites, da paciência de poder esperar o momento certo pra conseguir melhorar o mundo.

“O perdão liberta o coração. A reconciliação limpa o medo por isso é uma arma tão poderosa, …temos que surpreender com compaixão e generosidade”.

Nelson Mandela

Mandela, “passou 67 anos de sua vida se dedicando ativamente a promover e conseguir a mudança social” e por causa disso, a Fundação Nelson Mandela, de Johannesburgo, sugere que, no 18 de julho, “as pessoas dediquem simbolicamente pelo menos 67 minutos de seu tempo para servir suas comunidades em qualquer coisa que quiserem”.

sombras, reflexos e desejos de me inspirar na sua perseverança e paciência

Bia Fioretti, repete o discurso de liberdade e igualdade, das últimas semanas, essa foi a mensagem que eu trouxe para a Africa do Sul (vim aqui pra  falar da universalidade dos sentimentos entre as parteiras de todo mundo) levo de volta para o Brasil, um discurso ainda maior, de iguladade entre todos no mundo.

 
 
 
 
 
 
 
Perdi meu xale de lã pura nesse lugar, era de estimação feito  por uma parteira, que me acompanhava em todas as viagens, a princípio fiquei  muito triste, depois doei espiritualmente para aquelas ALMAS GELADAS que ficam assombrando esse lugar. Pratiquei o desapego ao dedicar cada um dos fios a cada um dos espíritos, como uma oração, para que também superem o sofrimento.
 
 
 

 
 
 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Obrigada Madiba por esse encontro e por essa  lição de desapego e liberdade de alma.


WHILE WE WILL NOT FORGET
THE BRUTALITY OF APARTHEID
WE WILL NOT WANT
ROBBEN ISLAND
TO BE A MONUMENT
OF OUR HARDSHIP
AND SUFFERING
WE WOULD WANT IT
TO BE A TRIUNPH
OF THE HUMAN SPIRIT
AGAINST THE FORCES OSF EVIL
A TRIUNPH OF WISDOM
AND LARGENESS OF SPIRIT
AGAINST SMALL MINDS
AS PETTINESS
A TRINPH OF COURAGE
AND DETERMINATION
OVER HUMAN FRAILTY
AND WEAKNESS

Ahmed Kathrada 1993



Deixe um comentário

Arquivado em AVENTURA, África do Sul, EXPERÊNCIA DE VIDA, IMPERDÍVEL, INESQUECÍEL, mito, RODAR O MUNDO, SURTEI, GRITEI, CHOREI, VIAJEI